A identidade de um ser

A vida começa assim: nascer, crescer, envelhecer e falecer. Durante esse processo de evolução, criamos a nossa identidade, quem somos e como somos. Há plagiadores, invejosos, há quem mande no seu jeito de falar, se vestir, qualquer coisa. Mas isso depende de unicamente uma pessoa, o próprio. 
Criamos nossa personalidade para que não sejamos mais um “igual” no mundo, na verdade ninguém é. Há duas opções, ser feliz ou infeliz. Ser quem você realmente é, ou ser um quadrado de argila pronto para ser moldado. 
Muitos deixam se influenciar por motivos… Digamos… “Vazios”. Há influências boas, que ajudam no crescimento do próprio, mas como saber o certo e o errado ? 
Quando pequenos, aprendemos por nossos pais, avós e professores, o que seria o certo e o errado. Porém, uma hora acaba. E a decisão cabe a você. Como escolhermos o certo ou o errado sem que nós pensemos a nossa maneira, ao nosso pensamento ?! 
Construir uma identidade demora, causa mudanças conforme o tempo, e nos acompanha até o último minuto de vida. Para que aquela identidade seja escrita por você, com sua letra e sua foto, para que vejam, quem realmente você foi e possam dizer: Esse ser teve uma história, feita inteiramente por ele, que o próximo livro, seja de minha autoria sem ligar para o que irão achar, mas que eu ligue sobre o que transmiti em minha vida, se fui um covarde em não me mostrar, ou se fui um aventurado mostrando-me a felicidade de ser eu mesmo.

Juliana Telha

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário