Entrevista com Professor Leandro Araújo



Para a entrevista de hoje temos um professor de uma escola do Rio de Janeiro que mobilizou os alunos em um projeto bem interessante, que visava incentivar o ato da escrita. Foi posta uma urna na escola em que os alunos poderiam depositar seus textos e ter o mesmo publicado em um livro. O “Criando imortais” conseguiu a atenção e o carinho dos alunos.
Quando você decidiu que seria professor?
Como muitas das coisas interessantes da vida, acabei me descobrindo professor de meus amigos em cursos pré-militares e relutei um bom tempo, inclusive depois de formado, tive experiências em outras áreas até realmente descobrir que a sala de aula e o ensino me completavam; que a busca incessante pelo conhecimento e ajudar um indivíduo na sua busca por este inesgotável prazer fazia parte de mim.  
O que você acha do interesse dos alunos pela literatura?
Muitos alunos, assim como eu na minha época de aluno, tende a rejeitar o que lhe é imposto e pela forma que ensinam Literatura, como um braço da História. A Literatura é um bem que fazemos à alma. 
Como você vê o cenário da literatura brasileira?
Em uma grande concorrência com a literatura mundial, que tem seu apelo reforçado por filmes. 
Qual a sua opinião sobre a entrada dos jovens nesse mundo de escritores? Você acha que hoje existe maior facilidade dos jovens entrar nesse mundo literário?
Para uma geração tecnológica, postar algo se torna inerente ao ser, mas não é dada a importância devida a este fato. Os mesmo não conseguem mensurar o quanto uma publicação pode ser importante, mesmo não sendo impressa. 
Da onde surgiu a ideia do criando imortais? Fale sobre o projeto.
O Criando Imortais foi o projeto que desenvolvi a fim de sanar um desejo de ter um concurso de poesias no Colégio de Aplicação Dr. Paulo Gissoni. Só que este projeto alcançou um novo patamar. Os alunos não só participaram de um concurso de poesia, como participaram da criação, edição e publicação de um livro e do lançamento que foi feito através do Sarau Imortal, no qual alunos do Colégio e docentes se apresentavam. Os docentes também puderam desfrutar de um espaço específico para suas publicações nos dois anos já realizados do projeto.
A resposta dos alunos lhe foi satisfatória?
Foi mais que satisfatória. Os alunos ficaram muito engajados em todas as etapas do processo. Todo o projeto foi feito como trabalho extraclasse, sem pontuação ou incentivo em notas. O Sarau foi realizado fora do horário de aula e teve uma boa lotação do teatro no primeiro ano e lotação esgotada no segundo.
  
Qual seria o conselho que você daria aos jovens escritores de hoje?
Fazer parte de um hall de imortais é muito difícil porém recompensante. Busque seus sonhos e escreva, pois nada é feito só de inspiração.
                Projetos como esse que incentivam jovens escritores a expor seu trabalhos poderiam ser mais vistas nas escolas, como também professores incentivadores. 

Por Dominyke Mello

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário