A janela da alma.



Depois de pensar inúmeras vezes em não fazer isso, vou fazer. Vou escrever sobre o que mais me fascina em você, seus olhos. Essas duas janelas que me levam para outra dimensão, o primeiro contato mais intimo. Seu olhar faz com que me sinta despida, frágil, aqueles olhos que me procuravam e descansavam à encontrar meus olhos. Você chegou quieto, calado, aleatório, sentou-se, me olhou e eu realmente não estava esperando aquele olhar demorado, olhos curiosos, porém calmos, olhos admiradores que me observaram pelos mais longos 5 segundos que eu já imaginei. De repente isso virou um hábito, a troca de olhares era instantânea e ininterrupta, a cada movimento feito por mim era acompanhado por seus olhos e eu assumo que eu gostava. Meus olhos te caçavam famintos indo atrás de uma presa e nossos olhos se encontravam, nenhum sorriso, nenhuma expressão facial, o ambiente silenciava-se e eu conseguia ouvir minha respiração ofegante. Nós ficamos próximos por um tempo. Seu olhar me hipnotiza. E agora longe da influência deles eu consigo pensar nitidamente e talvez planejar sobre o que fazer quando te encontrar novamente, mas sei que nada disso vai adiantar, pois quando isso acontecer vou esquecer e descartar tudo em que pensei.

Dominyke M.

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário