Ele quer… Ela também… Ambos se olham, e se evitam.
Ele a quer… Ela repensa na possibilidade.
E nessa monotonia do ambiente, com o confronto interno, o tempo acaba. Hora de ir embora.
Ambos com caminhos diferentes.
Ele diz: Eu vou para direita…
Ela diz: Eu vou para esquerda…
E mais uma vez o desencontro.
Depois de uma longa caminhada de pensamentos e desejos, eis que chegam em suas casas.
Se arrumam, e se deitam. Cada um de um lado da rua daquele mesmo ponto.
E pensam, como seria, se alguém tivesse tomado aquela “iniciativa”. Noite difícil, os olhos se fecham, porém, a mente não. Reviver os momentos antes de uma noite de sono, é clássico. Pensá-los em como poderia ter sido, é difícil.
Num belo dia, se esbarraram. Olhos radiantes, um em direção ao outro. Palavras naquele momento ? Não era necessário… Coração acelerado, mãos trêmulas e suor frio. Típico de adolescente. E novamente, se despediram, sem dar uma chance ao início de uma nova história.

Juliana Telha

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário