Entrevista com Lucas Cordeiro - TEMA: Budismo

Por: Anderson R.

Outra entrevista para fazê-los pensar, mais uma tema abordado, dessa vez é religião, um tema bastante reconhecido. Nessa entrevista feita com Lucas Cordeiro falamos sobre os preconceitos que a religião sofre, as ideologias que o fizeram escolher o budismo como sua religião. Então abra sua mente e leia com atenção cada palavra.

A: Para você, como é ser budista em um país cristão?

L: Normal. As pessoas sempre estranham a religião de início por causa dos mantras que não são nem um pouco familiares a língua portuguesa, e de ser regido com firmeza e harmonia, deixando mais diferente ainda. Algumas igrejas acabam acusando de magia negra ou algo parecido por causa disso... Mas no exemplo do dia a dia, se vê qual é a finalidade daquela religião.

A: O que a sociedade emprega sobre o budismo, o que você diria ser verdade, e o que seria exagero ou até mesmo mentira?

L: Bem, um dos grandes erros é achar que adoram o deus "buda" que seria a estátua de um homem gordo com cabelo raspado com as pernas em posição de lótus. Na verdade é a representação simbólica do mestre e discípulo... Assim como acontece no catolicismo, onde colocam a imagem de Jesus para orar. "Deus" na maioria das religiões budistas é um estágio de vida máximo de desapego do mundo exterior, sendo que o eu é dissolvido e acaba entrando em sintonia com todo universo, vendo as coisas de modo incondicional.

A: você falou sobre acharem se tratar de magia negra. Para você, na pratica existe diferença em orações ou rezas comparado ao mantra? 

L: Orações como pai nosso e ave Maria não deixam de serem mantras.  A diferença é que o cristianismo teve esta forma de captar a espiritualidade e criar símbolos diferente a do budismo. Assim como o oriental criou o budismo para chegar ao seu verdadeiro ser, o cristianismo vem com o mesmo propósito, que é o mesmo de todas as religiões: o amor.

A: O que é ser budista?

L: Ser budista é saber lidar com as batalhas internas para que você possa encontrar seu verdadeiro ser, no caso... Estado buda, estado pleno de paz e espiritualidade.

A: Quando a pessoa fala que é budista já se pensa na imagem daqueles homens carecas e com roupas laranjas, e quando se diz budista e não tem essa imagem, dizem que você não é budista, considera isso um certo preconceito?

L: Nem tanto, porque não é um tema muito discutido na nossa cultura e o pouco que é mostrado acerca são imagens de monges com cabelo raspado (principalmente ligados ao budismo tibetano, o mais conhecido). Logo, aliam o budismo a essas imagens, sendo que há milhares de vertentes, como no cristianismo há igrejas mais liberais (usam roupas padrões da sociedade) ou criam seus padrões (usarem saias e usam ternos). Isso também ocorre no budismo.

A: na família, apenas você é budista? Já sofreu preconceitos seja da sociedade como familiar?

L: Sim, só eu. Mais familiar do que social, sou de uma família extremamente cristã católica e tiveram aversão no inicio, mas nada demais.

A: Por que acha que existe tanto preconceito contra outras religiões de outras religiões?

L: Porque o ser humano mudou todos os conceitos de religião para fins egoístas, uma vez que cada religião tem um ensinamento em algum grau sobre uma coisa: amar ao próximo.

A: Na sua opinião, no fundo as religiões pregam a mesma coisa mas por algum tipo de desvio de ideologia muda todo um conceito?

L: 
Sim. É inevitável que mudanças ocorram na pregação das religiões durante a história, até porque a sociedade muda, com isso vários costumes são acabados e outros descobertos.

É nesta transição que ocorrem os desvios. E esses desvios fazem das pessoas menos racionais e mais instintivas, remetendo a animalidade. O que seria belo para o todo, seria belo para mim, mas devido a troca de termos, hoje acontece o contrário.

A: O que te levou a querer ser budista? A ideologia em si ou algum outro motivo?

L: Porque foi a religião que me fez encontrar comigo mesmo. Sempre segui o lema "paz e amor" mas achava uma contradição até conhecer o budismo. Sem muitos julgamentos e com prática, tentam mostrar para o ser humano como ser feliz da melhor forma possível.

A: Para finalizar, qual sua mensagem para quem não conhece bem o budismo e mesmo assim crítica? E também para quem respeita e se sente bem com a ideologia da religião?

L: Que possam se abrir mais sobre o tema, pois na vida tem o ponto bom e ruim, na filosofia budista é a mesma coisa. Não custa relevar o bem no que existe em volta; Possam aprofundar mais no tema e levem todos os ensinamentos teóricos para o dia a dia, assim poderá ter mais determinação e força para realizar os próprios sonhos.


Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário