IT - A Coisa

Você conhece "IT – A COISA"VAI CONHECER!



Para aqueles que sofrem de Coulrofobia, uma pequena dica de um amigo, pensem duas vezes antes de lerem essa história, pois Pennywise pode assombrar vocês!


A história se passa na cidade de Derry, no Maine. Conta a trajetória de cinco amigos que presenciaram de perto assassinatos que nunca foram resolvidos pela polícia, mas eles sabiam o que estava causando tudo aquilo.

Depois de derrotarem ‘O Palhaço’ pela primeira vez, a paz havia voltado para a pequena cidade, ficando alguns anos sem os misteriosos assassinatos. Quando tudo acontece de novo, fazendo os agora adultos Michael Hanlon – O único que não saiu da cidade e que chamou todos de volta, para destruir de vez “A Coisa”. - ; Richard Tozier; Eddie Kaspbrak; Stanley Uris; Beverly Marsh ; Bem Hanscom; Bill Denbrough.

Diferente do que fiz no ‘O Demonologista’, nessa história não vou falar como se passa a história em si, mas falar sobre seus pontos fortes e coisas que me fizeram por um certo tempo largar o livro.



Ponto Forte


A temática da história, a forma que ela foi construída foi sensacional, sem querer ser pretensioso, será difícil alguém querer escrever uma história de palhaço sem pensar nessa, pois fez tanto sucesso, foi tão bem aclamada que vai ser difícil alguém não querer desistir da idéia de ter um palhaço como assassino.
Cada um dos personagens sofreram em sua infância, e de alguma forma o palhaço sabia seus pontos fracos. O gordinho que era perseguido na escola; o rapaz que perdeu o irmão e que era gago, o que o fazia ser perseguido; o rapaz que se escondia na “comédia”; o jovem negro, que nem preciso explicar o por quê de ser perseguido; o judeu; a menina que era bonita mas não sabia se vestir; e o menininho da mamãe, que achava ter alguma doença mas no fundo sabia que não tinha, e nós sabemos que “filhinhos da mamãe são perseguidos”.
Então a história fala sobre a inocência de algumas crianças e como elas podem ser más com outras, fala de abusos, agressões, suicídio. Tudo o que devemos esperar e mais um pouco das histórias de Stephen King.





Ponto Fraco


Por se um fã da obra de Stephen King, admito que essa foi a primeira história dele em que me decepcionei e que demorei muito tempo para terminar, achei a história cansativa, longa demais, excessiva demais.


É a típica história que você não pode desviar o olho, não pode deixar escapar um único detalhe, porque lá na frente você vai se perder. Eu gosto de histórias assim, mas a história é um vai e vem que se tornou em certo ponto na minha primeira leitura, chato. Foi o primeiro livro que tive a certeza de que “Nem sempre um livro com mais de mil páginas será tão bom quanto um livro de cem!”, e depois que li Misery – meu livro favorito do King. – eu tive essa certeza.

Em certo momento você fica entediado na história, porque fica de certa forma repetitivo, e o que acontece? Você abandona o livro. Talvez a minha maior decepção tenha sido pelo o que as pessoas falavam, pela forma que endeusavam a história do Palhaço, e nessa história a única coisa que eu aplaudo de pé é o palhaço, é o maléfico PENNYWISE. Pra quem tem medo de palhaço, para quem tem imaginação fértil vai ser um terror ler essa história. Apesar dos pesares, eu indico a leitura para quem me pergunta sobre a história, porque afinal, é esse o meu ponto de vista. 

- XOX -

Se me perguntam “Qual livro de Stephen King eu deveria ler primeiro?”, e eu diria como sempre digo “Misery!”, aí depois vem os dois livros da relação de amor e ódio entre os fãs de Stephen King “O Iluminado” e a sua continuação “Doutor Sono”, esses são os meu “TOP 3 De Stephen King!”.

Eu tenho essa coisa de “Se não me chamar a atenção logo de cara, muito difícil de eu manter o foco, de querer continuar fazendo aquilo!”, devo esse fato por eu ser bastante ansioso, hiperativo mesmo. Isso vale para cinema, teatro, e até restaurando – se o prato demora por exemplo.

Com essa história não foi diferente, eu perdi as contas de quantas foram as vezes que eu o larguei e voltei a ler novamente, mas não é porque eu estou escrevendo isso que não indico para você ler, e nem por isso ele está em último como meu livros prediletos do King. Como eu disse, a história em si é boa, a construção do personagem, o tema. Mas é que algo faltou pra mim, sabem? Eu não senti aquela euforia que a maioria das histórias do King me causam. Como por exemplo “Sobre a Redoma”, ela começa acelerada, mas com o passar ela vai caindo o ritmo, e eu ainda não consegui terminar a bendita história, e por quê? Porque estou entediado com o rumo que ela está. Mas esse não vem o caso, e quem sabe depois falo sobre essa história.

Eu por exemplo, não troco o conto “O gigante do volante” – quem leu “Escuridão Total Sem Estrelas” vai saber. – por “It”. NÃO MESMO!


Mas eu lhes digo, leiam, não é porque eu não gostei que vocês não irão gostar. Leiam, tirem suas conclusões e se quiserem debater, debateremos. Críticas (CONSTRUTIVAS!) sempre serão bem vindas. Eu indico a leitura de It pelo o que a obra representa do que realmente ela é. E claro, para que conheçam “Penywise – o Palhaço”.



Especificações

Autor: Stephen King
Idioma: Inglês
Editora: Viking Press
Lançamento: 15 de setembro de 1986
Nome Original : It


Curiosidades:


- Stephen King demorou 4 anos para terminar a história.

- Stephen King se inspirou no assassino John Wayne Grace que foi acusado de matar 29 garotos. John se vestia de palhaço e foi ele a inspiração de Stephen King para criar Pennywise.


Nota: 8,0

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

1 comentários:

  1. ENFIM, ALGUÉM QUE PENSA COMO EU! ADORO "MISERY"; CONCORDO SOBRE,"O GIGANTE DO VOLANTE", E CITO AINDA, DO MESMO LIVRO, O CONTO "1922"; E, TÁ MUITO DIFÍCIL TERMINAR "IT, A COISA". SOU MUITO FÃ DE STEPHEN KING MAS, NÃO ME ENVOLVEU, INFELIZMENTE.

    ResponderExcluir