INTRODUÇÃO A LITERATURA ÉPICA

INTRODUÇÃO A LITERATURA ÉPICA

Por Iago Victor


Do grego “επική (epikí̱)”, a literatura épica (do grego “épos” que significa versos) é o gênero onde a narrativa ocorre através de versos e que apresenta feitos heroicos de um povo ou de um herói específico. A epopeia, pertencente ao gênero épico, eterniza as histórias de grandes heróis do passado como em Ilíada e Odisseia, que narram os acontecimentos da guerra de Troia.

O gênero épico é o berço da literatura, sendo o principal responsável pelos moldes da poesia como se tem no século XXI, sendo a épica também (possivelmente) como sendo o mais antigo dos gêneros.
As obras literárias contemporâneas são ativamente influenciadas pela própria literatura épica, contos famosos que envolvem guerras entre deuses gregos e homens, mitologia grega, nórdica e romana, foram influenciados em parte pela literatura épica, tal como os modelos de poesia recorrentes na Era Contemporânea.
Camões (1572) faz referência aos cantos épicos em sua própria épica (Os Lusíadas, Canto I – estrofe 3) dizendo:

Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram:
Cesse tudo o que a Musa antígua canta,
Que outro valor mais alto se alevanta.
Invocação às Ninfas do Tejo

Quando dito “Cessem do sábio Grego e do Troiano”, Camões faz referência aos cânticos homéricos da Ilíada e Odisseia que narram os feitos de Áquiles, herói grego e Odisseu (conhecido também como Ulisses) que parte da guerra de Tróia rumo a sua terra, Ítaca.
Quando fala sobre as navegações, Camões cita as viagens feitas por ambos personagens onde, em decorrência de suas transgressões, acabam por irritar os deuses e enfrentar as adversidades. O trecho em questão se refere ainda mais a Odisseu, que sofreu diretamente por suas decisões durante todo e período de navegações.
Próprio da literatura épica, o cântico épico traz em seus versos iniciais o foco de sua narrativa, quando Camões diz “Cesse tudo o que a Musa antígua canta” ele faz referência ao foco principal da Odisseia de Homero, que começa a partir de versos cantados para uma Musa. Em seguida o autor coloca seus próprios ideais sob os de Homero, utilizando não somente da mímesis, mas também da emulatio, recursos esses que serão explicados mais detalhadamente no futuro.

Tal referência só pode ser compreendida se tomarmos os próprios cânticos homéricos como objeto de estudo. Sendo este o alvo desses escritos, inicio aqui os estudos homéricos de A Odisseia.

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário