Entenda porque o Brasil está ficando sem escritores.

Galera, hoje o assunto é muito crítico... Meu sincero conselho é que vocês novos escritores... FUJAM PARA O EXTERIOR!

Matéria Original Por: Iago Victor


Essa matéria vai ser dividida em duas partes porque (A) ficaria muito extensa e você leitor poderia se incomodar e (B) para entender melhor a situação, eu terei que explicar muita coisa, para ser detalhista preferi postar em duas partes. A primeira é essa aqui:


Para quem não sabe, eu além de escritor estou me formando em Letras pela Universidade Federal de São Paulo e uma das minhas especialidades é a análise de mercado literário. Eu como autor tenho até o presente momento três livros publicados, dos quais dois foram "auto publicados". É exatamente sobre esse cenário que venho hoje para bater um papo com você, caro leitor, que deseja escrever um livro ou você que quer entender porque não existem tantos livros nacionais no mercado.


Problema: O Brasil está sem novos escritores.

Certo, vamos tentar entender o que realmente significa isso. A verdade é que no Brasil (infelizmente) se você não tem dinheiro (ou é famoso), você dificilmente irá conseguir publicar um livro e isso acontece por uma série de fatores. Eu enfrento esse problema desde que comecei a escrever e sei bem do que estou falando.

Fator A - Economia.


Que o Brasil está passando por uma crise financeira tenebrosa todos nós sabemos, mas como isso afeta o nosso amado mercado de livros é algo realmente complicado, tanto que terei que explicar esse mesmo tópico de duas formas.


A1 - O Autor.

Ao contrário do que todo mundo pensa, os autores recebem no Brasil cerca de 10% somente do valor do livro vendido, o que significa que se um livro custa R$20,00, o autor que idealizou tudo, que se matou de escrever e revisar tudo, todo o processo criativo, recebe o montante de R$2,00. É isso o que ele recebe por aquele livro que você ama tanto.

A2 - O Leitor.

Quando compramos um livro, a primeira coisa que notamos (ao menos nesses tempos de crise) é o preço que estamos pagando pela obra. A questão é que se nós formos analisar o mercado como um todo, vamos perceber que algo está levando o mercado literário Brasileiro para o buraco. 
Vamos analisar: Em 2013 eu comprei o livro "O Teorema Katherine" de John Green pela quantia de $29,90, tendo em média pouco mais de 300 páginas. Um outro livro foi publicado em 2015 com o total de 260 páginas é vendido ao preço de $44,00.
Vamos levar em consideração algumas coisas: John Green é famoso, o autor deste segundo exemplo não, A editora que publicou o Teorema certamente investiu em divulgação (o que teoricamente eleva seu preço) enquanto o segundo autor não (o que deveria diminuir o seu preço).
Com um preço menor e mais divulgado, o leitor de poucos recursos acaba optando por um livro estrangeiro (não estou criticando o livro, até porque ele é o meu livro favorito) e deixa de lado o que poderia ser uma ótima aquisição por conta do preço.

Fator B - Custos de Produção.

Seguindo essa mesma linha, entramos no fator que interfere diretamente no preço do livro do autor desconhecido. Se ninguém conhece você, significa que as editoras terão que investir em marketing para vender a sua obra, tome nota dessa informação também.
No entanto, por ser desconhecido você já tomará de cara diversas portas fechadas, apenas porque você é iniciante. As editoras fazem isso porque investir em novos autores pode significar desperdício de dinheiro caso você não faça sucesso. Quase todas as editoras que conheço fazem isso, principalmente as mais conhecidas.
Só que o que ocorre na prática é que as editoras não vão investir em marketing, o que significa que você vai ter que se preocupar com essa parte, afinal marketing não se faz sozinho e o pessoal que se especializa nisso tem que cobrar o preço justo pelo esforço deles. As editoras oferecem o serviço de marketing das suas obras, mas você vai ter que pagar por isso.
A saída para esse problema (que não é a mais indicada) está no próximo tópico, mas por hora vamos entender o que acontece. A editora aceita publicar seu livro, mas para que ela não tenha prejuízo com um livro que não vende, ela "convida" o próprio autor a financiar as impressões de seu livro, ou seja, ele paga pelos livros impressos e depois (se conseguir) vender seus livros o "lucro" passa a ser dele. Mas se o autor é desconhecido, e tem de pagar $44,00 na impressão de seu livro, mesmo que ele opte por vender pelo preço que comprou, ele estará vendendo um livro de um desconhecido por quase $50,00 enquanto livros com mais páginas e tão bons quanto são vendidos pela metade do preço.

Fator C - Auto Publicação.

Quando o autor se vê nessa enrascada ele vai correr para o lado que lhe seja mais favorável, ou seja, o setor de auto publicação.
Acontece que, a grosso modo, escrever um livro é fácil, mas vendê-lo é muito difícil.
O livro que você gastou anos para escrever não irá se vender sozinho, você vai precisar investir pesado em marketing se quiser vender dez cópias. Acontece que, no site de maior abrangência para auto publicação atualmente no Brasil, (Clube dos Autores) onde eu publiquei dois livros, um livro de 87 páginas, sem o valor dos meus direitos autorais inclusos, custa aproximadamente $27,00. Sim. Isso mesmo.
Um livro de 87 páginas custa quase o mesmo que um livro de 300 páginas. Isso acontece porque o mercado quer te incentivar a comprar mais exemplares, ou seja, se você quer um desconto você vai ter que comprar 50 exemplares, ao custo de $27,00 ($1350,00) e rezar para conseguir vender esses exemplares. Não estou criticando o site, estou criticando o mercado literário Brasileiro. E o culpado principal é esse aqui:

Fator D - Crise

Com empresas demitindo funcionários, cortes de gastos familiares, aperto de cinto nas finanças, era óbvio que o mercado literário iria sofrer. Livros são considerados supérfluos pela grande maioria da população (santa ignorância). Pessoas compram menos livros em épocas de crise exatamente por isso. Menos livros vendidos significa que as editoras vão sair no prejuízo, então aumentam os preços. Preços elevados significa que o autor que deseja publicar seu livro, vai ter que pagar para publicar e comprar parte da tiragem de seus livros, dessa forma, mesmo se ele não vender, a editora ainda sai ganhando. Só que quem não ganha "um puto" nessa história toda é o autor, que se matou para fazer uma obra excelente, e que não chegará nas suas mãos. O autor acaba vendendo seus livros pela metade do que pagou, sai em um prejuízo enorme (e lembre-se que estamos em crise, não podemos ter prejuízo) e com sorte recupera metade do que gastou, tudo porque o mercado literário Brasileiro diz que um livro de 87 páginas tem de custar o mesmo que um de 300.

Agora você entende por que não vemos livros nacionais nas prateleiras da mesma forma que esses estrangeiros?

Amanhã teremos a segunda parte dessa matéria, mostrando a saída (quase milagrosa) que você jovem e desconhecido autor pode encontrar para realizar seu sonho de publicar uma obra sem ter que vender seus órgãos para conseguir (ou ao menos, vendendo apenas um dos rins).

;)

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário