Segundo a Lei da Arma - Resenha

Fala galera! Depois de semanas doente e necessitando de cuidados médicos, eu, Iago Victor, finalmente volto a ativa aqui na Fixação Literária e já chego botando pra quebrar com uma resenha de um livro incrível que obtivemos novamente através de uma maravilhosa parceria com a Chiado Editora.

Confiram com exclusividade a resenha de "Segundo a Lei da Arma" do grande José Casado Alberto!

Matéria Original por: Iago Victor

Logo de cara eu já vou colocar a minha opinião, para que vocês saibam que o livro realmente é bom e certamente entrará para a lista dos melhores do ano. A resenha também saiu no meu canal do Youtube, o canal Iago Victor. Quem quiser conferir a resenha em vídeo, a matéria está logo abaixo! E não esqueçam de se inscrever no canal para receber sempre as novidades da Fixação Literária no Youtube :D



Vamos à Resenha:

Primeiramente, o livro conta uma história que se passa dentro do período de colonização nativo americana (a que todos os americanos se orgulham de terem dizimado os indígenas), e nos trás todo o cenário de hostilidade entre o homem de pele vermelha e os brancos. Esse cenário por si só já conquista qualquer leitor, a história é fascinante, mas aí surge o contexto da história contada, a essência do livro: A lei da arma.

Dentro da perspectiva de um corvo (que ao longo da história nos remete a uma verdadeira reavaliação de como analisamos a nossa vida) nós assistimos a história de três personagens distintos: Texas Red, um índio que possui o sangue e violência em suas mãos, mas que dentro de si ao meu ver também carrega ideais nobres; O Ranger, um soldado que busca a justiça e luta por seus ideais, mesmo tendo de recorrer à violência, ele busca a justiça; O Forasteiro, um sujeito que ao meu ver não passou de um caçador típico de recompensas, e que através de seus meios consegue ter o que quer.

Fora do âmbito da história, nos três personagens eu percebi muito sobre o esteriótipo que o mundo têm dos americanos e que de certa forma ainda (infelizmente) é verdade.

Voltando a história, os três personagens se envolvem em um conflito de proporções inimagináveis e com um final surpreendente, visto através de uma narrativa simples e ao mesmo tempo elegante, José Casado Alberto conseguiu dar um fim digno a uma história simplesmente magnífica. Como todos sabem eu só dei até hoje nota 10 pouquíssimos livros, mas Segundo a Lei da Arma conseguiu se superar através do conto da perspectiva da morte e da violência, que simplesmente me conquistou. Uma nova nota 10 foi escrita em meu Ranking.

Sobre o livro em si, vou deixar abaixo os textos de contracapa e orelha do livro, e já adianto. Você NUNCA irá se arrepender ao comprar esse livro. Um dos melhores que já li!

Sobre o autor:
"Nascido a 11 de Novembro de 1990, José Casado Alberto foi criado nas margens da ria de Aveiro, local onde ainda reside actualmente. Desde cedo mostrou interesse pela arte do contador de histórias, desde o romance ao documento histórico, passando pelo filme, série ou videojogo.

Em meados de 2014, começou a formular a base daquele que se viria a converter no seu trabalho inaugural "Segundo a Lei da Arma" ao ouvir a música Big Iron da banda sonora de um dos seus videojogos favoritos.

Presentemente, estuda Biotecnologia na Universidade de Aveiro." - retirado do livro.


Sobre o livro:

"O Corvo sobrevoava o deserto do Novo México. Atraído pelo chamamento do sangue, chegou a uma solitária montanha pintada em tons alaranjados. Abaixo, três figuras: um fora da lei, um ranger e um caçador de recompensas— três representantes do melhor e do pior que a espécie humana tem para oferecer— dançavam uma dançam tão antiga como a própria existência: a dança da morte.

Texas Red. Filho perdido do povo Navajo e criminoso sanguinário, produto das tragédias que assolaram o seu povo.
Olhos-Azuis. Personificação estóica do velho oeste e da ideia de que as leis apenas existem porque homens poderosos asseguram a sua existência.
Forasteiro de Negro. Sádico e desprovido de quaisquer escrúpulos. Ele cospe na face das leis da sociedade e obedece apenas ao seu depravado e rígido código moral.
No final do dia, estes três homens demonstrarão que quando o homem despe as ilusões efémeras da sociedade apenas uma lei sobrevive— A Lei da Arma." - retirado da contracapa do livro.

Nota final:
10.

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

2 comentários:

  1. Que livro!!
    Eu to com uma dúvida gente, cadê a rafa? Ela escrevia bem pra caramba kd ela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então jovem, ela está viajando até onde sabemos...

      Excluir