Palavra após Palavra | Resenha

Fala galera! Iago Victor de volta na área, após longas semanas de recuperação médica, para trazer para vocês mais uma resenha de uma das incríveis obras publicadas pela Chiado Editora:

Palavra Após Palavra
Bento Ferraz

   Palavra Após Palavra é um livro de poesias  escrito por Bento Ferraz, poeta e renomado compositor da música popular brasileira. Já no prefácio do livro, escrito por José André Lôpez Gonçâlez, se pode perceber as influências da poesia do sudeste brasileiro nas palavras de Bento Ferraz.
   Gonçâlez compara Bento Ferraz com um bardo, por ser poeta e músico, e afirma que Bento Ferraz faz parte da mesma estirpe dos grandes vates que vieram de São Pulo, como Affonso Schmidt, Décio Pignatari, Benedito Luís Rodrigues de Abreu e João Cardoso de Meneses e Sousa.
   Para ilustrar parte do grande talento que existe na escrita de Bento Ferraz, escolhi a poesia que mais me tocou em seu livro: Díspar (p.57):

DÍSPAR
A minha mitologia tem minhocas centáureas,
tem sapos que cospem pedras,
tem também as taturanas que abrem sus mil pernas
lascivamente para um equino,
parindo dias depois dois ovos que dão dragões.
Um ser que impressiona é cruzamento
de garça e motocicleta.
Na minha mitologia os seres são o avesso.
As vísceras raciocinam, os cérebros
são graciosos em seu requebro.
Cada bicho em seu ofício díspar
reina por um só dia. Depois,
deposto, é degolado.
Não entendo minha mitologia,
não me entendo.
Mas isso é lugar-comum:
você se entende?
   Eu poderia discorrer a respeito das terminologias empregadas ou mesmo destrinchar cada um dos versos, tal como um professore de literatura faria, mas dessa vez eu farei diferente. Me colocarei no mesmo lugar de vocês, leitores, e tecerei minha apreciação como um leitor dessa poesia:
   Primeiramente, a mitologia se coloca como algo próprio apenas da Grécia ou de Roma. Aqui vemos como nós mesmos podemos construir nossas próprias  mitologias, segundo nossas próprias regras. Bento Ferraz faz exatamente isso, explicando como sua mitologia surge e qual sua composição.
  Bento Ferraz constrói sua mitologia sob uma perspectiva vil, como algo esteticamente feio aos nossos olhos, exaltando ainda a forma como as posições são temporárias, cada qual em seu lugar.
   A chave desse poema está na última estrofe, pois de fato, quem se entende neste mundo? Quem se entende em meio ao mar de vísceras em que vivemos?
   Díspar, que significa aquilo que não é igual, demonstra a complexidade do pensamento de Bento Ferraz, tecendo sobre uma tela a pintura confusa de um sujeito que não se compreende.

   Palavra Após Palavra é um livro que traz essa e mais poesias repletas de significado e beleza, apreciável ou não, compreensível ou não, mas que te farão refletir sobre a poesia que cerca nossas vidas.
Meu conselho enquanto poeta:
Cerque-se com a poesia de Bento Ferraz.

Um grande abraço.
Iago Victor

Sobre Fixação Literária

Fixação LiteráriaSomos jovens escritores que almejam um lugar nesse vasto campo que é o universo literário e termos a chance de acrescentar na amargura do mundo uma gota de criatividade, duas colheres de elegância e uma pitada de imaginação. Créditos imagem - Mell Galli
Recommended Posts × +

0 comentários:

Postar um comentário